Image Map

+ Tradução do caderno da Alison








“…na cara dele.”
“Ele mordeu a isca?”
“Nem perto. Ele tentou me dizer que não era ele. Ele ficou todo brabo e disse que não poderia ter mandado elas. Que eles olham a correspondência dele antes de mandar, algo assim. Eu acho que eles querem ter certeza que esses bebês não vão ficar chorando para as mamães, pedindo pela casa. Mas tenho certeza que há outros meios. Você acredita que ele tentou colocar a culpa na irmã cega dele? Foi patético. Tipo, como se ela já não tivesse aprendido na primeira vez.”
“Então é isso? Acha que ele entendeu o recado?”


“Posso usar seu telefone? O meu, literalmente, escolheu o pior dia para morrer.”
“O meu morreu também. Não que eu não fosse deixar você usar.”
“Medo que eu roubasse um dos seus namoradinhos?”
“Bem que você queria.”
“Ugh, 2 horas para ir embora e nenhum aparelho tecnológico.”
“Então, me conte. Você já teve uma chance de contar ao ‘gostoso da praia’?”
“Contar o que?”
“Hm, não sei…talvez sobre aquilo que você estava pirando ontem?”
“Não! E é melhor você não contar para ninguém. Eu falo sério”
“Você precisa contar para o ‘gostoso da praia’ hoje de noite!”
“De jeito nenhum, ele vai pirar”


“Quer ver minha vida acabar?”
“Pare de ser tão dramática. E a propósito, ele vai descobrir.”
“Eu vou pensar em alguma coisa. Então podemos deixar isso pra lá? Vai dar tudo certo, quando não deu?
“Você é seriamente louca.”
“Quem é você? Minha mãe? Eu disse pra deixar pra lá. Você está acabando com meu bom humor. Como se não fosse ruim o suficiente a gente ter que ficar sentada aqui ouvindo a coletânea de músicas do meu pai.”
“Sério, ele está parado no tempo ou está tentando reviver os dias de glória?”
“Você viu a camisa que ele está usando?”
“Vamos dizer que eu deixei bem claro.”
“Então você foi visitá-lo no reformatório? Você só pode estar brincando comigo! O cara que cegou aquela menina?”
“Tá, tanto faz. Eu fui.”
“Ai meu Deus, por que?”
“Para esclarecer com ele. Ele pensou que poderia mexer comigo de atrás das grades. Como se eu não fosse descobrir que era ele. Ele merece ficar naquela jaula por ser tão estúpido.”
“Bom e como é lá? Aposto que a família dele tem algumas algemas d bad boy.”
“É muito nojento, e acredite…ele está se odiando agora por ter mexido comigo.”
“Então, o que aconteceu?”
“Eu joguei aqueles bilhetes idiotas onde ele estava”
-



Pra quem não leu a primeira parte, clique aqui

-



-

Nenhum comentário:

Postar um comentário