Image Map

Fanfic- Teoria de Alison DiLaurentis - Atualizada

It’s Immortality, My Darlings!

Ler desde o começo, clique aqui


- Final do cap 11.


- Alerta Creepazoid*! – Zombou Alison ao ver Lucas na beira do lago. – Hey, Hermie... tem alguma câmera nessa coisa ai? – Se referiu ao barquinho que ele estava carregando. – Para fazer um filme ou algo parecido?
- Não, meu leme emperrou.
- Oh, aposto que sim. – Disse Alison o encarando. Como se ele não devesse estar ali. – Vá assustar um peixe! – Ordenou.
- Ei! – Interrompeu Hanna.
- “Ei” o que? – Perguntou Alison. Lucas pegou seu barquinho, enquanto as encarava. Hanna não sabia o que responder. Lucas foi embora.
- Nada. – Foi o que Hanna conseguiu dizer.
- Nunca olhe para trás, Hanna. Algo pode estar te alcançando. – Disse e voltou a se concentrar a tomar sol.

De repente começou a esfriar e as pessoas a volta começaram a recolher as coisas e irem para suas respectivas casas.
Noel e Prudence voltaram de mãos dadas, fazendo Aria começar arrumar suas coisas também. Emily não queria sair de lá, pois sabia que teria que voltar para sua casa e era o que ela menos queria. Se conectar tanto com alguém era bom para ela. Ela tinha uma vida muito rotineira. Estava na hora de modificar.

A festa estava se aproximando e elas estavam mais do que animada para ir a uma festa justas depois do desastre da festa de Halloween. As festas do Noel Kahn eram sempre cheias de surpresas. Boas ou não... sempre haviam surpresas, jogos, bebidas e segredos.

*Segundo fontes, Creepazoid é uma pessoa que procura se esconder atrás de um computador e procura namoros virtuais, inclusive se passando por outra pessoa.



CAPITULO 12

Um mês após a festa de Halloween, Cece voltou a se encontrar com Courtney para lhe ensinar mais algumas coisas.
Na realidade, Courtney estava aprendendo a ser Alison sem ajuda. Porém, quando Cece a “orientava”, parecia que o que ela estava fazendo era errado. Cece tinha uma “Modalidade” de ironia e maldade e Courtney se baseava em ideias que tinha da irmã. De repente ela começou a aperfeiçoar todas as teorias e em poucas semanas ela conseguia conversar com sua “tutora” de igual para igual. Era assustador como Courtney aprendia rápido. Até mesmo mais rápido que Alison. Talvez fosse a necessidade de conseguir provar que ela conseguia ser uma versão melhor de sua gêmea levava ela se submeter a muitas coisas que não queria, mas com o passar das semanas, ela acaba descobrindo que era divertidíssimo ser desejada e ver a cara de humilhada das pessoas quando ela caçoava ou mal tratava.

- Vamos logo com isso, que eu tenho que ir embora em uma hora. – Solicitou Cece, revirando os olhos.
- Eu não sei como lidar com a Spencer. Ela é como uma versão menos fabulosa de mim. Mas ela é muito inteligente.
- Como uma terceira Alison? – Zombou Cece.
- Engraçadinha. – Revirou os olhos, imitando Cece. – Vai me ajudar a lidar com garota ou vai ficar olhando pro relógio de 5 em 5 segundos?
- Está carente, Courtney? Liga pro telesexo. Ou para um psicólogo.
- Não me chame assim. O Jason pode ouvir.
- O Jason está ai? – Se virou para olhar o corredor.
- Ai... Está lá no quarto ouvindo Elliot Smith, para variar. O repertório dele está cada vez mais escasso. Não sei o que você viu nele.
- Ele é Jason DiLaurentis. Ele e o Eric são os garotos mais lindos e populares de Rosewood Day. E com você aqui, eu posso conseguir um deles, que seria o mais difícil, no caso o Jason... o Eric... já está na lista.
- Desde quando ficar com o Jason é difícil? Quando eu estava no Radley, a cada semana que ele ia me visitar, me contava sobre várias meninas numa mesma festa.
- Obrigada por essa informação agradável, querida.
- Ah, ops. – Courtney começou a rir. – Desculpa.



- Nunca olhe para trás, Courtney. Algo pode estar te alcançando. – Se sentou na penteadeira e começou a checar a maquiagem e cabelo. Ela vestia uma bata vermelha, jeans azul-escuro, salto 8cm preto Louis Vuitton e cabelos com ondulações perfeitas nas pontas.
- Pra onde você vai? – Encarou-a pelo espelho
- Sair. Não te interessa onde. – Arqueou as sobrancelhas.
- Ok.- Respirou fundo aguardando alguns segundos-   O que me diz sobre a Spencer? – Se levantou da cama e parou ao lado de Cece.
- Acho que você dá satisfação demais. Quanto menos coisas internas você falar, melhor. Quando você falar algo, fale frases prontas ou coisas que você saiba que as afetam. Com a gorda eu sei que é mais fácil. Você vai ter que achar o ponto fraco dessa garota, abrir uma ferida como cortes de folhas de sulfites e deixar sangrando gota a gota... Dia após dia... Ninguém pode saber suas fraquezas. Mas você tem que se mostrar receptiva para que elas contem as delas e é ai que você aperta o tridente.
- Você é tão maldosa.
- Obrigada. –Sorriu e borrifou o perfume francês em seu pescoço. Courtney tirou o perfume das mãos dela.
- Não deixei você usá-lo. – Colocou de volta na penteadeira.
- Ele nem é seu. É da sua pobre irmãzinha esquizo que está internada por engano na clínica de reabilitação Radley Sana... – Courtney interrompeu.
- Shiu garota. O Jason vai ouvir. –Repetiu. Foi até a porta e a trancou. Cece sorriu e voltou a pegar o perfume e o borrifou do outro lado do pescoço. Courtney revirou os olhos e voltou a se sentar na cama. Seria inútil bloquear qualquer ação de Cece. Ela sabia demais sobre ela e isso não era bom.
- Bom, agora eu vou embora. – Sorriu, pegou a bolsa e saiu se equilibrando com os saltos.
---


A festa de Noel era naquele sábado. Courtney ao acordar correu para o espelho verificar o que tinha de errado com seu rosto. Parecia que seus poros estavam enormes, eu cabelo seu brilho e... o que era isso abaixo do queixo? Uma espinha começando a nascer? Oh, não... não no corpo de Courtney. Ela passou todos os esfoliantes que tinha em seu kit de cosméticos, pomadas e base. Depois de tudo ser repetido ela chegou a conclusão que estava fabulosa novamente e que com certeza Cece aprovaria. Começou a se vestir, a campainha tocou. Era Hanna e suas calças caqui. Tão deselegante quando chegar sem ser chamada.
Jessica DiLaurentis gritou perguntando se ela podia subir. Courtney foi até o corredor e disse que tudo bem.
Hanna jogou a bicicleta na lateral da casa e subiu as escadas cuidadosamente para não parecer que estava desesperada. Mas ela estava, porém “Alison” não precisava saber que ela não conseguia se maquiar. Suas mãos tremiam de tanta animação. Embora ela não tivesse uma roupa adequada para seu corpanzil, seu cabelo e seu rosto tinham que estar perfeitos ou quase isso.
- A gente não tinha marcado de se encontrar na casa da Spencer daqui 3 horas, Hanna? – Perguntou Courtney, com o babyliss nos cabelos.
- Eu sei, mas eu queria que você fizesse minha maquiagem. Minha mãe está numa reunião do banco. Primeira reunião dela como gerente, sabe? Ai ela não pode me ajudar.
- Pensei que você fizesse sua maquiagem todos os dias. – Arqueou as sobrancelhas, virando o corpo, ficando de frente para Hanna.
- Eu faço, mas achei melhor que você fizesse pra mim.  – Comentou Hanna, praticamente implorando.
- Ai, está bem, vou ver o que eu consigo fazer. Porém milagres estão longe de acontecer.
- Nossa, muito obrigada! – Sorriu animadamente e reparou no cabelo da amiga – Ali, seu cabelo está perfeito. Queria que o meu ficasse em ondas tão perfeitas como o seu.
- Obrigada. Posso tentar fazer no seu, na próxima. – Esboçou um sorriso significativo.
- Você faria isso por mim? Isso seria mais do que incrível.
- Claro, por que não?  - Deu outro sorriso significativo e terminou de usar o babyliss.
Troca de elogios eram coisas comuns entre elas, afinal... elogiando normalmente elas recebiam outro elogio em troca e assim, ficavam completamente confortáveis umas com as outras e com a alto-estima nas alturas.

E assim as horas se passaram. Alison fez qualquer comentário sobre a bolsa de Hanna que ainda nem tinha sido lançada e que era linda. Uma das meninas do terceiro ano tinha uma irmã que trabalhava em uma loja chique no shopping King James e sempre conseguia reservar algumas coisas para Alison e suas amigas.

As horas se passaram e logo as 5 melhores amigas estavam no quarto de Spencer Hastings.
A única que não estava com decote ou com as pernas de fora era Hanna. Spencer, Aria e Emily estavam de saia. Alison estava com uma bata rosa e decote. E Hanna por sua vez com camiseta de manga cumprida e calça caqui. Era quase depressivo vê-la sempre tão coberta.  Mas as coisas iam mudar, de forma boa ou não.

Logo quando elas chegaram na festa, viram Prudence e Noel se agarrando pelos cantos. “Alison” via a cara de cachorro sem dono que Aria fazia, mesmo que quando ela olhasse de verdade ela mudasse de expressão. Ela imaginava que fazendo o favor de terminar o namoro dos dois, Aria agradeceria por deixar o Noel só para ela e acabaria contando coisas para ela e seriam mais amigas do que eram.  “Alison” preparou o celular para mandar um SMS para Prudence e numa tacada só faria ela surtar.
Na última festa que Courtney havia ido, ela tirou muitas fotos Polaroides, porém o rolo do filme acabou e ela teve que usar o celular para tirar as fotos do resto da festa. Ela não havia convidado as outras 4 meninas, ela iria com Cece, Sophie e Zoe. No meio da festa, ela veio Noel flertando com uma garota e achou que serviria algum dia aquela foto para chantageá-lo ou algo assim. Minutos depois eles se beijaram e ela registou tudo em seu celular. Não que a câmera fosse muito boa, mas dava para definitivamente saber que era Noel e uma vadia qualquer. 
Courtney olhou as fotos e clicou em enviar junto com a mensagem “Se eu fosse você, eu não piscaria ou iria ao banheiro por mais tempo que o tempo de um flash. Clic. Você foi traída.”  Bom, na época Noel não estava namorando com Prudente, porém não tinha como ela saber que a foto não era atual. Em ambas as fotos ele estava com uma camiseta preta e a festa foi dada no mesmo local.
De longe elas ouviram Prudence reclamando:

- Já chega, Noel! Terminamos!
- Por que? - Perguntou Noel confuso. Logo depois olhou diretamente para Alison, que sorriu com vitória. – Felizes agora? – Perguntou tendo certeza que tinha sido elas que haviam enviado a mensagem.
- O que aconteceu? – Perguntou Aria.
- Acabei de deixar Noel disponível.
- Como? Você os fez terminarem? – Perguntou Aria novamente.
- Nós fizemos. – Olhou ao redor- Não está mais afim dele, Aria?- Perguntou Alison
- O que “nós” fizemos? – Solicitou explicação, Spencer.
- Por que essa atitude pessoal? Eu fiz pela Aria. – Sorriu e continuou – Eu só mato quando precisamos de comida ou – fez uma pausa -  quando estou entediada ...

As 4 meninas ainda estavam se acostumando com a forma de expressão da queen B. Porém, mesmo assim elas se assustaram com o que foi dito. E não era para menos. Qualquer um ficaria assustado.
- Espero que ele tenha aproveitado a pedra do beijo.  – Sorriu e começou a andar pela casa. As meninas começaram a segui-la.  – O que vocês estão fazendo? Vão curtir a festa. Vocês não vão precisar de mim. – Pegou outro copo de bebida e bebeu.
Aria parecia desorientada, não sabia se procurava Noel ou se continuava junto com as outras. No final das contas elas ficaram encostadas na parede da sala de jogos, bebendo, sem trocar uma palavra até “Alison” ir buscá-las.
Alison encontrou seu irmão por acaso na festa, conversando com Melissa Hastings. Ela estava irritada com Ian. Ele tinha bebido além da conta e era a carona dela. Jason se ofereceu para levá-la. Ian e Jason eram amigos. Não teria nada demais se Jason não estivesse afim de Melissa e Courtney sabia disso. Ele havia contato para ela quando ela estava no Radley.
O celular de Alison emitiu um bip. Ela olhou ao redor enquanto tirava o aparelho da bolsa. A mensagem dizia:
“Está divertida a festa? Foi fácil terminar o namoro do Noel. Mas vai precisar de reforços quando eu acabar com você. –A”

Courtney tremeu  e colocou o celular de novo na bolsa. Virou outro copo de bebida e quando olhou para o sofá, seu irmão não estava mais lá.
Alguns minutos depois Jenna Marshall apareceu lá, com o mesmo rapaz que estava grelhando carnes no lago.  Quando Jenna a viu virou o rosto e começou a andar para o lado oposto. Courtney começou a procurar suas amigas.
- Cadê Spencer? – Perguntou Courtney olhando para os lados.
- Foi se esconder, por pouco Melissa não a vê com um copo transbordando coquetel alcoólico.
- A Miss certinha já foi embora. Meu irmão deu carona pra ela.
Spencer saiu do lado de fora da cara com um ar de alívio.

- Acho melhor eu ir embora.  – Disse Spencer arrumando a bolsa no ombro.
- Pode ir, eu vou ficar. Ainda tem muitas coisas para se fazer aqui. – Olhou para o outro lado da sala, onde estava Ian fazendo vira-vira com Darren Wilden.
- Sério Alison, eu preciso ir embora. – Frisou Spencer. Como num pedido para que a amiga fosse junto.
- Já disse que você pode ir. Eu vou ficar. – Afirmou Courtney, encarando-a.
- Você que sabe. Alguém vem comigo? – Olhou uma a uma e não obteve resposta. Mesmo que todas estivessem morrendo de vontade de voltar, não iriam sem a Alison delas. – Saco. – Cruzou os braços e se escorou na parede, ela não queria ir embora sozinha.
Hanna olhou para a porta de entrada e viu Sean chegando, mas em vez de ir falar com ela, foi direto para a parte de jogos, junto com Noel, que ainda tentava conversar com Prudence.

- Ai, era só o que faltava. Todo mundo sentar em volta da lareira e começar a cantar Dear Prudence pra essa desclassificada. – Courtney revirou os olhos e foi atrás de mais bebida.
- Achei que ia ter gente mais velha nessa festa. Tem algumas crianças... – Comentou Wilden, olhando para Courtney.
- Como se você se importasse com minha idade. Acha que eu não sei o que você faz com essa câmera? – Comentou Courtney virando o pescoço lentamente até encará-lo e depois olhar a câmera.
- Tenho certeza que não. – Afirmou acendendo um cigarro Marlboro Light.
- Não me subestime. Você não sabe do que uma garotinha pode fazer quando está determinada. – Sorriu e voltou a andar para a mesa de bebidas, andando provocantemente, tendo certeza que Ian e Wilden estavam olhando.

Emily, Hanna, Aria e Spencer estavam entediadas ali. Embora Hanna estivesse de olho em Sean e Aria em Noel, nenhuma delas tinha coragem de fazer algo.
Depois de uns 40 minutos Courtney voltou e disse que elas iriam embora. Chamou um taxi e todas foram para a casa de Spencer, era o combinado que elas dormissem lá.  Quando Courtney estava prestes a entrar no táxi, seu celular emitiu outro Bip.
Todas as meninas se olharam, esperando que ela mostrasse a mensagem, mas ela não mostrou. Apenas leu quando estava deitada para dormir. Ela estava com medo de ser algo extremamente assustador ou desagradável e reagir na frente delas.  A vida dela tinha que ser perfeita, não? Demonstrar qualquer preocupação em demasia não era bom para sua imagem.
Ela abriu seu celular com relutância e leu: “Toda ação tem sua reação. Está disposta a pagar por ela? Aprendeu a rezar? É bom começar. Xo –A”

Ler desde o começo, clique aqui


-
Xo 
Sweet

Nenhum comentário:

Postar um comentário